quarta-feira, 12 de julho de 2017

RÚSSIA E IRÃ CADA VEZ MAIS PRÓXIMOS - Irã quer mais cooperação com Rússia para impedir ingerência dos EUA na Síria

Militantes curdos e árabes apoiados pelos EUA avançam em Manbij, no norte da Síria, 23 de junho de 2016

Irã quer mais cooperação com Rússia para impedir ingerência dos EUA na Síria

© AFP 2017/ DELIL SOULEIMAN
Oriente Médio e África
URL curta
82540140

O secretário do Conselho Supremo de Segurança do Irã, Ali Shamkhani, sugeriu a seu homólogo russo, Nikolai Patrushev, reforçar a coordenação entre os dois países para frear os planos de ingerência dos Estados Unidos na Síria, segundo informa a agência Fars.

"O aumento da coordenação entre o Irã e a Rússia para evitar a intervenção ilegal dos EUA na Síria […] é uma necessidade inevitável no caminho da cooperação entre Teerã e Moscou", disse Shamkhani durante uma conversa telefônica com seu colega russo.
De acordo com a Fars, o alto funcionário iraniano chamou também a impedir que Washington atente contra a integridade territorial e a soberania da Síria. O comportamento desafiador de Washington, advertiu, pode gerar uma escalada do conflito na região e a consolidação dos grupos terroristas.
"Com seus ataques contra o exército sírio, os EUA acabarão por levantar a moral dos terroristas e apoiar os territórios que estes controlam", salientou Ali Shamkhani.

Militares iranianos se preparam para lançar um míssil Hawk de classe terra-ar durante exercícios militares
© AFP 2017/ ISNA/AMIN KHOROSHAHI
Em 18 de junho, a coalizão norte-americana derrubou um caça sírio Su-22 que executava uma missão contra os terroristas na cidade de Tabqa, em Raqqa. Anteriormente, na manhã do dia 7 de abril, os americanos atacaram com mísseis a base da Força Aérea síria de Shayrat, em Homs, acusando Damasco de usar armas químicas.
As tropas norte-americanas também instalaram lança-foguetes múltiplos na área síria de al-Tanaf, o que levou Moscou a suspeitar de que o Pentágono possa usá-los contra os soldados sírios.
Desde março de 2011 a Síria vive em um conflito em que as tropas governamentais enfrentam grupos armados da oposição e organizações terroristas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário